Arte mesopotâmica - resumão


ARTE MESOPOTÂMICA (Resumo)

• Aproximadamente 2.850 A.C a 31 A.C.
• Decorativismo, naturalismo, senso narrativo, monumentalidade.
• Mesopotâmia: “entre rios”. Localizada entre os rios Tigre e Eufrates. (Atual Iraque)
• Religião: vida terrena. Não acreditavam em vida após a morte. Culto aos deuses.
• Civilização:
• Civilização tão fantástica quanto a do Egito. Devido à escassez de pedras utilizavam tijolos de barro para construir, esse materail não resistiu ao tempo, por isso, muito pouco sobrou para contar sua história.
• Vários povos de diferentes costumes constituíram a civilização mesopotâmica, tais como: caldeus, assírios, babilônicos, fenícios, sumérios, acádios, persas, portanto existem variações na arte.
• Povos guerreiros, viviam no litoral. Não há unidade de povos: várias civilizações guerreiras que dominam-se entre e si, sobrepondo uma a outra.
• Cada povo falava uma língua - “Torre de Babel” - ninguém se entendia!
• Dilúvio contado pela Bíblia: Mesopotâmia inundada pelos rios Tigre e Eufrates.
• Características gerais da arte:
• Representações virís (guerra e caça).
• Arte voltada para a sociedade: demonstração de poder. Expressão dos governantes.
• Representação do rei/deus da melhor maneira possível, para adoração em dus totalidade. (Imitação de estátuas já feitas).
• Arte para adoração - função religiosa, civil, prática.
• Sem conotação estética. Arte sem originalidade e criatividade. Bom artista é o que faz a cópia perfeita.
• Anonimato: arte sem assinatura. Arte do povo desconhecida. A valorização do artista acontece somente no Renascimento.
• Lei da frontalidade - na pintura - representação de perfil.
• Aproximadamente 3.000 A.C. desenvolvimento da escrita. Escrita cuneiforme (gravados em argila com estilete em forma de cunha):
• Criação do tijolo de barro e azulejo (vitrificação do tijolo)
• Arquitetura:
• Tijolos de barro cozido, maleáveis, pouco resistentes.
• Paredes espessas, vitrificadas.
• Obras assimétricas
• Amplas superfícies contínuas, com poucasaberturas, assegurando estabilidade e resistência.
• Obscuridade interior, garantindo repouso à ofuscante claridade solar.
• Palácios, templos, torres, muralhas.
• Muralhas decoradas com azulejos.
• Zigurates: templos em forma de torre (mais perto de Deus). O acesso ao último pavimento era feito por escadarias intermináveis e estreitas que rodeavam os muros.
• escultura:
• Arte para deus.
• Baixo relevo.
• Oradores: estátuas com cabeça cuidadosamente elaborada (desproporção entre corpo/cabeça), o corpo é insignificante - acreditavam que a alma das pessoas estava no rosto, o corpo servia de suporte. Olhos enormes e expressivos (fé e serenidade). Feições sobrenaturais, homem mágico. Visão sobrenatural do mundo. Característica mágica.
• Materiais: pedras, mármores, gesso, conchas, metais.
• pintura:
• Pintura inexpressiva, devido à umidade constante, que não permite tinta. Paredes vitrificadas.
• ourivesaria:
• Expressivo trabalho com metais.
• Muito cobre.
• Colares, braceletes.
• Aplicações em ouro, bronze, prata, incrustação de pedras preciosas: cornalina, lápis-lazúli
• Moldagem dos metais: naturalismo ingênuo com obsessão pelo detalhe ornamental.
• Valor transcedental das forças da natureza.
• Utensílios e objetos de decoração de ouro, prata e incrustação de pedras.

Nenhum comentário: